Boa noite! Hoje é Quinta-Feira.
14 de Novembro de 2019 - Hora Local 23:06h

Notícias

08-10-2019 Maripá realiza campanha para prevenir e combater casos de piolho nas escolas


Após o registro do aumento de casos de piolho em alunos da rede de ensino de Maripá, a Secretaria de Educação, Cultura e Desporto juntamente com a Secretaria de Saúde estão realizando uma campanha nas escolas municipais e colégios estaduais para alertar os pais sobre a importância dos cuidados para evitar a infestação do inseto, chamada pediculose. As ações envolvem a entrega de material informativo e orientações em sala de aula e estão sendo intensificadas na sede do município, onde foi registrado maior aumento de casos.

Segundo a secretária de Saúde, Andréia Bento Maria Scudeller, a orientação é que os pais verifiquem frequentemente a cabeça dos filhos. “Os postos de saúde do município apresentam medicamentos para o tratamento de pediculose, como Permetrina loção e Ivermectina comprimido. Os munícipes devem procurar ajuda nos postos de saúde e, se necessário, consultar seu filho com o médico”, explica.

Os piolhos se alimentam cerca de 4 vezes por dia, injetando no couro cabeludo um pouco de saliva, que tem propriedades vasodilatadoras, anestésicas e anticoagulantes. As picadas provocam coceira intensa no couro cabeludo, feridas causadas pelo ato de coçar, marcas visíveis deixadas pelas picadas de inseto e até aparecimento de ínguas e infecções secundárias nos casos mais graves de infestação.

A secretária de Educação, Cultura e Desporto, Janaína Müller Geraldi, ressalta que o trabalho deve ser feito em conjunto, com apoio da escola e dos pais. “Não tratar a pediculose capilar infantil pode acarretar mau desempenho escolar por causa da coceira, noites mal dormidas e, nos casos mais graves, anemia provocada pela hematofagia desses insetos. Por isso, a atenção deve ser redobrada”, destaca.

RECOMENDAÇÕES –Não se deve seguir receitas caseiras, que além de ineficazes podem fazer mal à saúde. Não é recomendado usar pesticidas ou substâncias como querosene: além de tóxicos, não matam os ovos. Além disso, a família toda deve ser examinada. Se parentes dividirem a cama, devem ser tratados mesmo que não tenham piolhos. Apesar da transmissão por objetos ser mais rara, é importante limpar todos os itens de uso pessoal que tenham entrado em contato com a cabeça da pessoa infectada em 24 a 48 horas antes do início do tratamento (os piolhos morrem em menos de 48 horas sem se alimentar de sangue).

CURIOSIDADE - O piolho não pula nem salta, ele se arrasta. Por isso, só é transmitido por meio de contato direto entre a pessoa infectada e a não infectada. A transmissão devida a compartilhamento de objetos pessoais, como escova de cabelo e roupa de cama, é mais rara. Porém, ao pentear o cabelo seco é possível produzir eletricidade estática que pode lançar os insetos a até um metro de distância.


Fonte: Assessoria de Imprensa
E-mail: imprensa.maripa@gmail.com
Telefone: (44) 3687-1262