Boa noite! Hoje é Segunda-Feira.
26 de Junho de 2017 - Hora Local 22:57h

Símbolos

27-01-2014 Principais atividades e econômicas do município

As principais atividades econômicas do município de Maripá estão voltadas para a agricultura, para piscicultura e cultivo de orquídeas.
A produção de grãos, como soja, milho e trigo, surgiram no município a partir da década de 70, são de grande importância e fazem parte da economia do município até hoje.
Em 1993 surgia a piscicultura, neste período houve a chegada do instituto Emater, que se instalou na sede auxiliando fortemente a região que era pioneira no assunto em relação à assistência técnica, neste período surgiram as construções dos primeiros tanques/viveiros tecnicamente corretos para a engorda da tilápia, aperfeiçoando a produção dos envolvidos neste negócio.
No ano de 1997, por iniciativa dos piscicultores do município que contava com o apoio da administração municipal e do instituto Emater, com o objetivo de realizar um trabalho de organização dos produtores, foi desenvolvida a Associação dos Aquicultores de Maripá (AQUIMAP), entidade que hoje congrega um grande número de piscicultores e que é de fundamental importância para o desenvolvimento desta atividade.
Durante o início da produção da piscicultura nos tanques de Maripá a lotação era de 1,0 a 2,0 peixes por m², com uma produtividade média de 3,0 toneladas por hectare/ano e produção de 105,0 toneladas de pescado no ano de 93/94. Hoje a atividade é considerada uma das mais importantes atividades para o município, tendo ao longo destes 18 anos se desenvolvendo de forma crescente, tanto em quantidade quanto em produtividade e qualidade.
Os produtores do município adotam hoje a lotação média de 5,0 a 8,0 peixes por m² com a produtividade média de 39,0 toneladas/hectare/ano e uma produção total de 2.665 toneladas nesta última safra em área de lamina de água de 68,4 ha.
Números que refletem a importância desta atividade para a economia do município, principalmente para a melhoria da renda e maior estabilidade das famílias envolvidas na atividade de piscicultura no município de Maripá.
Também no ano de 1993 surgiu a idéia do plantio de orquídeas nas arvores das ruas do município pela professora Zíria Dalchiavon em uma preparação do desfile de 07 de setembro, onde com o apoio e consciência ambiental da comunidade maripaense o projeto teve início.
Alguns munícipes já admiravam a planta e cultivavam em suas residências certas variedades das orquídeas, então houve a organização da gincana de arrecadação de mudas de orquídeas pelos alunos das escolas municipais e estaduais, onde no término da brincadeira conseguiram o total de aproximadamente seis mil mudas que foram distribuídas entre as arvores públicas.
Ao longo dos anos a orquídea foi se popularizando cada vez mais e novos plantios foram ocorrendo, inicialmente como trabalho para os alunos, e mais tarde envolvendo toda a comunidade, com o apoio da prefeitura municipal, inclusive incentivando com premiações, como o desconto no IPTU.
No ano de 1997, Maripá foi designada como a “Cidade das Orquídeas”, titulo aprovado pela Câmara Municipal através da Lei Municipal nº 10/12/1997. A cidade encheu-se com mais flores ainda e muitos orquidários foram sendo criados, tanto em Maripá, como nos distritos de Pérola Independente e Vila Candeia.
Para homenagear as duas das novas fontes da economia maripaense, o município criou no ano de 1998, a primeira Festa das Orquídeas e o Peixe, que ocorreu na Praça das Orquídeas, com a utilização dos pavilhões das igrejas e a exposição de orquídeas no Centro Comunitário. Após alguns anos, precisamente em 2003, houve a inauguração do Centro de Eventos e a festa passou a ser realizada com mais espaço e organização neste local.